conto | Rebeldia Celeste

Estava um calor infernal, absurdo, há poucas horas atrás. Agora os pingos grossos dessa chuva perturbada vem encharcar a terra escaldante. As massas de ar frio chocam-se com as quentes, em um encontro apocalíptico, que causa a tempestade que neste momento assola os arredores de minha casa.
E junto de tudo isso vem os raios e trovões. Aquela luz percorre o céu, indicando que um grande estrondo está por vir. Então ele grita lá no alto, toda sua dor e angústia. É o pranto do céu que junto com o alto rugido dos raios vem para me aterrorizar. 
Tento me concentrar na tela do meu computador, porém mais um estrondo ensurdecedor desce dos céus e atinge o chão. Olho fixamente para o teclado, preciso superar o medo e escrever. Então a luz de um relâmpago acende. Retiro rapidamente as mãos do teclado e as levo aos ouvidos. Não consegui me concentrar mais. O temor era grande de mais para me manter aqui sozinha envolta nesta tempestade descompassada. 
A maratona começou quando decidi desligar o computador. Era uma tentativa e lá vinham os trovões me fazendo esconder minha audição. Foi difícil, mas enfim a máquina estava desligada. Ainda com os ouvidos tampados, fui apagando as luzes da casa. Corri até a porta e saí em disparada para a casa dos fundos. Lá fui atendida pela minha avó, e naquele momento me senti mais segura. 
Os trovões ainda demoraram um pouco a desaparecer e em seu lugar surgir uma chuva que não demorou muito a passar. Mas mesmo com as luzes e ruídos do céu enfurecido, não me sentia mais tão perdida. Estava aconchegada, envolta em risadas proporcionadas por piadas sem fundamento, histórias hilariantes e ironias desiguais. Tudo coberto por um café quentinho e pão com geléia. 
Assim que o surto de rebeldia celeste cessou, voltei ao meu lar e ao meu computador. Tudo estava como antes, mas dentro de mim já não havia mais medo, e sim a doce lembrança de uma tarde em família.
 
 
Baseado totalmente em fatos reais

Anúncios

6 comentários em “conto | Rebeldia Celeste

  1. Laura:Com certeza são inspiradores mesmo (:Na verdade tenho pavor de barulho. Por isso detesto trovões, não gosto que estourem balões perto do meu ouvido, também não gosto de ouvir filme de terror muito alto, com medo dos barulhos dos sustos. Mas o relâmpago me encanta. Acho linda a luz que ele tem, porém é o barulho que me irrita. Realmente, parece que o céu vai cair. E eu tenho medo também que o raio atinja um poste, uma árvore, sei lá, e caia em cima da casa.É disso que eu tenho medo :S

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s