(RESENHA) Escolhida

Oi gente! 😀

Hoje terminei de ler um dos livros que estava ali do ladinho <– no “Leitura Fresca”, e eu não poderia deixar de comentar ele, muito menos comentar mais pra frente, porque depois eu ia acabar me esquecendo de alguns detalhes. Estou enlouquecida por falar sobre ele agora, então vamos lá.
Sei que muitos não vão saber sobre que livro falo, mas deve ter gente que já ouviu falar, ou até mesmo já leu ou se interessou por ele. É o “Escolhida” que integra a série “House of Night“, da autora norte-americana P.C. Cast juntamente com sua filha Kristin Cast.
 
P.C. e Kristin Cast
 
Essa série contém sete livros publicados aqui no Brasil, e mais dois que já estão para sair. Os primeiros que eu já havia lido são “Marcada” e “Traída“. Este que irei comentar aqui, consequentemente é o terceiro. A série conta a vida de Zoey, uma jovem que acaba sendo marcada e passando pela transformação que, no seu fim, a fará se tornar uma vampira ou a matará. Não se sabe quais jovens marcados são fortes o suficiente para suportarem a transformação. Então ao ser marcada (no primeiro livro), Zoey deixa tudo para trás e começa uma nova vida na chamada “Morada da Noite” (House of Night). Lá ela encontra novos amigos, inimigos e um caminho que tem que aprender a percorrer.
(Muitos Spoilers) 
O primeiro livro trata basicamente da repentina mudança na vida de Zoey, de uma simples jovem para uma caloura preste a se tornar uma vampira. Já o segundo, quando Zoey está mais habituada com toda essa história de virar uma vampira, e tem amigos fiéis, sua melhor amiga morre, o que acaba por abalá-la. E mais ainda quando ela descobre que na verdade sua amiga (Stevie Rae) não está realmente morta, mas algo como uma morta-viva-faminta-por-sangue. O que a choca muito também, é o fato da Alta Sacerdotisa, que é como se fosse a diretora em uma escola normal, não é quem aparenta ser, e mostra que por trás daquela pose de boa moça abençoada pela Deusa Nyx (que é a Deusa dos vampiros) na verdade ela é uma cachorra fedorenta e odiosa. 
O terceiro livro, o qual acabei de ler e é o assunto deste post (dãa) conta o envolvimento de Zoey com três homens, a tentativa de transformar Stevie novamente na amiga sensível e doce que era antes, na inesperada aproximação com Aphrodite (que antes era a cachorra fedorenta e odiosa da história, mas que no fundo eu admiro de mais), nas mentiras que conta para os amigos, e no fato de que tem gente matando os professores da sua nova escola com uma crueldade tremenda. 
Começando do começo. Eu amei esse livro como os outros dois primeiros. Adoro a forma como as duas Cast’s escrevem. Uma literatura cheia de pensamentos da personagem principal, o mais legal é que alguns pensamentos são realmente engraçados. Como todo (ok, nem tooooodos são assim) livro de uma série, ele não termina realmente ao final da última página. Ainda existem muitos mistérios para serem resolvidos, muitas coisas para se pôr em ordem. E estou curiosa para desvendar tudo isso.
Bem, Zoey foi uma total burra, ingenuamente tola neste livro. Eu sabia desde a primeira vez que aquele sem vergonha do Loren Blake apareceu na história, como um poeta encantador e professor na House of Night, que ele não prestava. Era só ver a incrível perfeição dele e a imensa atração que fingiu sentiu por Zoey, uma mera caloura, para perceber que cada palavra que saía daquela boca suja, nada mais era do que um bocado de mentiras nojentas. E eu bem que suspeitei que esse ridículo estava mancomunado com a bruxa da Neferet (Alta Sacerdotisa cachorra fedorenta odiosa). Mas não, a idiota da Zoey tinha que dormir com o Mr. Perfeito e ainda por cima ter um “Imprint” (algo como o que os lobisomens da Saga Crepúsculo tem, só que acontece com vampiros) bebendo o sangue do traidor. O que mais me irritou foi quando ela simplesmente contou todos os segredos dela para ele (na verdade não todos, mas a maioria). E ela não tinha contado esses segredos nem para os amigos dela. 
O fato é que a Neferet v@di@ pode meio que ler os pensamentos das pessoas. Ela só não consegue ler os da Zoey e da Aphrodite, o que explica a aproximação das duas contra a Neferet. Portanto só quem sabe que Stevie Rae está morta-viva e que isso quem fez com a Stevie foi a Alta Sacerdotisa, é a Zoey (sério?) e a Aphrodite que está ajudando ela a salvar Stevie. (entenderam?) E se Zoey contasse qualquer coisa sobre essa história maluca toda para algum de seus fofos amigos, a fedorenta odiosa iria descobrir, por isso ela não contou. Mas eu quis matar a Zoey, porque ela contou para o Loren, a Neferet poderia ler a mente dele também (mas ela nem precisou, porque o ridículo deu todo o serviço pra ela por sua própria vontade). Isso me deixou furioza, ela traiu os amigos, e ela sabia disso. Tanto é que quando eles descobriram toda a verdade e viram a monstrinha que Stevie havia se tornado, toparam em ajudar Zoey a transformar a garota na jovem fofa que era antes (o que deu certo), mas ficaram magoados com ela. Zoey nem tentou se desculpar, ela sabia que estava errada. O ruim foi que para voltar a ser humana Stevie teve que sugar o sangue de Aphrodite (o que quase a fez morrer), mas no fim fez com que na verdade ela voltasse a ser humana e não mais uma caloura (a Aphrodite no caso). Então Aphrodite fugiu da escola e Stevie foi atrás dela, e depois elas não apareceram mais no livro (isso aconteceu já no finalzinho). Estou curiosa pra saber o que aconteceu com elas depois que saíram da escola, mas para saber isso só lendo o “Indomada“.
Além de ter a melhor amiga e a antiga vilã da história (que está prestes a se tornar uma das mocinhas), como duas fugitivas; ver seus amigos virando-lhe as costas; descobrir que o homem por quem estava apaixonada na verdade a estava usando para conseguir informações para sua pior inimiga; ela ainda teve mais complicações. Heath, o garoto com quem namorava quando era apenas uma humana normal, teve um “Imprint” com ela em um dos livros anteriores. Eu realmente, realmente amo ele e quero que eles fiquem juntos apesar de tudo. Mas ao dormir com Loren e beber do sangue dele e ele do dela (uma coisa nojenta) eles tiveram um “Imprint” mais forte que acabou por sobrepujar o antigo. Deu a entender que Heath sofreu no momento em que o encanto deles se quebrou, mas ele também não apareceu mais no livro. Isso é outra coisa que estou curiosa pra saber. Heath continua a gostar de Zoey ou a quebra da ligação que tinham fez com que ele a esquecesse? Enfim. Ela ainda tinha um namorado que era super querido com ela, o Erik (eu não gostava muito dele porque ele era aqueles amores melosos sabe?). Mas o ponto não é se eu gostava dele ou não. O problema foi que ele pegou a Zoey pelada em cima do Loren. Sim, ele pegou os dois no flagra. Sem contar que ele tinha acabado de completar a mudança e se tornado um vampiro adulto, o que faria com que ele tivesse que sair da escola. Essas coisas se juntaram e fizeram com que Erik acabasse se afastando total da Zoey. Por um lado é bom, agora que ela não tem mais o Erik e sabe que o Loren é um sem vergonha, ela pode ficar com o Heath. Isso se ele ainda gostar dela.
 
Duas vezes a Zoey faz uma comparação bem visível entre os três homens em sua vida, o que a faz ficar cada vez mais confusa na decisão de qual deles ela quer de verdade. Eu quero que ela fique com o Heath (já falei isso), enfim: 
“1. Eu gosto de Heath. Eu posso até amar ele. E a ânsia por sangue dele era muito quente, embora eu não deva beber o sangue dele. Eu queria terminar com ele? Não. Eu deveria terminar com ele? Definitivamente. 
2. Eu gosto de Erik. Eu gosto muito dele. Ele é inteligente e divertido e um cara legal. Ele é o mais fofo e popular calouro dessa escola. E, como ele me lembrou mais de uma vez, ele e eu tínhamos muito em comum. Eu queria terminar com ele? Não. Eu deveria terminar com ele? Bem, só se eu continuar traindo ele com o cara numero 1 e o cara numero 3. 
3. Eu gosto de Loren. Ele existe num universo totalmente diferente de Erik e Heath. Ele. É. Um. Homem. Um vampiro adulto, com todo o poder que a posição dele trazia. Ele sabia coisas que eu só estava começando a adivinhar. Ele me fazia sentir como alguém que ninguém nunca conseguiu me fazer sentir antes; ele me faz sentir uma mulher de verdade. Eu queria terminar com ele? Não. Eu deveria terminar com ele? Não apenas sim, mas com diabos sim.” 
“Eu era louca por Heath. E o sangue dele. Erik era um cara incrível que eu realmente, realmente gostava. Loren era completamente delicioso.” 
Mas ainda tem mais. Uma professora foi morta e decapitada lá pela metade do livro. E todos estão achando que foi algum humano que fez isso contra eles. A ridícula da Neferet convocou uma reunião para dizer que se mais alguma morte de vampiro provocada por uma humano acontecesse, ela iria declarar uma guerra mortal contra os humanos. E bem no meio do discurso chegou a notícia de que adivinhem quem? havia acabado de morrer. O Loren Blake (choquei). Fiquei mega feliz, bem feito pra ele. Mas eu acho que quem matou esses dois professores foi a Neferet. Ela quer matar todos os humanos e dominar o mundo, aquela louca. Mas para isso ela precisa de uma desculpa. O que melhor do que se vingar de uma humanidade que, aparentemente, está se virando contra os vampiros? E daí depois que o Loren deu todas as notícias que sabia sobre a Zoey, ela matou ele. Fato! Só preciso confirmar lendo o próximo livro, mas creio que a minha intuição não falha.
Então essas são as incógnitas:
1 –  Para onde foram Aphrodite e Stevie? Elas estão bem?
2 – Os amigos de Zoey vão perdoá-la? Afinal ela ainda não contou toda a verdade para eles, leia-se “O fato de ser Neferet a malvadona da história toda”.
3 – Quem está matando os vampiros? (Essa é fácil, a cachorra da Neferet… eu acho)
4 – Erik vai continuar aparecendo na história ou vai sumir já que virou um vampiro adulto, e odeia Zoey?
5 – Heath ainda ama Zoey?
 
Considerações finais: 
Zoey – Burraaaaa 
Amigos da Zoey – Estão certos em se sentirem chateados, mas não deveriam ter virado as costas a ela. Deveriam ter resolvido a situação toda conversando. A amizade é sagrada demais para ser quebrada assim.  
Erik – Já foi tarde 
Heath – *—-* Tomara que fique com a Zoey Õ/  
Aphrodite – Cara, ela é muito inconveniente quando quer, faz piadinhas maldosas o tempo todo, mas eu realmente gosto dela. Ela me lembra a Quinn do Glee.  
Stevie Rae – \Õ/ Voltou a ser humana. Yéeep.  
Neferet – I hate you, bitch!  
Loren – Morreu, graças !

 
Ual, que post gigante. Mas não consegui me controlar, tinha que liberar meus pensamentos sobre a história. Sei que muita gente nem deve ter lido, mas pra quem leu, muito obrigada pela paciência ;D AMO VOCÊS 

Anúncios

6 pensamentos sobre “(RESENHA) Escolhida

  1. Ahhh!EU amo essa série. E me arrisco dizer que é minha favorita!POdia discutir o livro com vc, mas ia acabar dando as respostas para todas suas perguntas!=XADorei o modo como vc escreveu..>SINCEROOO!BJooClíciahttp://silencioqueeutolendo.blogspot.com/

  2. Não leio porque de fato não me interessou por livro sobre vampiros e tals- muita gente poderia me matar por isso- mas enfim com a sua resenha, té dá vontade de lê-lo, sem falar que adorei as considerações finais '' Loren – Morreu, graças ! '' UHAHUHUSHAUSHUHA ri mt :*

  3. Carol:Imagina se alguém ia te matar por isso flor. Vampiros já estão ficando manjados mesmo. Mas eu ainda os admiro por sua incrível monstruosidade. Enfim, se você não gosta de livros deste estilo não é um pecado capital (: Super te entendo.AOKSAOKSOASK' Mas é verdade, esse Loren era um babaca mesmo. 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s