(RESENHA) A Garota da Capa Vermelha

Era uma vez uma garota que ia se casar com um ferreiro. 
Era uma vez um lenhador que queria fugir com ela. 
Era uma vez um lobo…
Sinopse: O corpo de uma garota é descoberto em um campo de trigo. Em sua carne, marcas de garras. O Lobo havia quebrado a paz. O inverno chegou mais cedo. Depois que Valerie descobre que a irmã foi morta pela lendária criatura, sua vida mergulha de forma irreversível na maldição que assola a aldeia há gerações. Uma revelação chega com Father Solomon, exterminador de Lobisomens: a fera é um dos habitantes da aldeia. Todos se tornam suspeitos. Estaria Peter, sua paixão de infância, envolvido nesses ataques? Ou seria Henry, seu noivo, o Lobisomem? Ou, talvez, alguém mais próximo… Extremamente próximo… 
Uma nova e arrepiante versão do clássico conto de fadas; nela, o final feliz poderá ser difícil de ser encontrado.
  
Como eu disse em um post de POMBO CORREIO – aqui – fiquei enlouquecida ao ver o “A Garota da Capa Vermelha” em uma livraria, e me obriguei a comprar. A ansiedade foi imensa até o momento em que realmente peguei o livro para começar a lê-lo.
O livro é inebriante. Os personagens são cativantes, fervorosos, instigantes. Fazem-nos amá-los, odiá-los, compreendê-los. 
A história é muito boa, e até o último momento nos deixa apreensivos pela resolução dequem é o lobo?‘. Literalmente até o último momento, pois ao final do livro nos deparamos com a seguinte frase: Será este o verdadeiro final da história de Valerie? Visite www.editoraid.com.br/agarotadacapavermelha e descubra!’ O que eu poderia fazer após ler isso? Correr para o computador, é óbvio! E foi o que fiz, apreensiva em querer saber o que me aguardava no site, me deparei com um capítulo bônus, no qual é solucionado o verdadeiro mistério sobre o lobo. Isso foi uma coisa que nunca vi em nenhum outro livro – se já tiverem visto me corrijam. É diferente, irreverente, original, e aguça ainda mais nossa curiosidade. Adorei esse fato.
Voltando a falar dos personagens. Esta é uma das raras vezes que me fascino com a personagem principal. É impossível não se encantar por Valerie. E não digo se encantar no sentido de que ela seja uma personagem meiga e coisas do gênero. Pelo contrário, ela é menos feminina que a irmã Lucie, mais aventureira e independente, e creio que por ser tão autônoma e sem medos foi que ela me conquistou. Não me cativam personagens muito bobinhas, boazinhas de mais, sentimentais de mais, aquelas que por serem garotas precisam ser frescas. Isso cansa minha paciência. E como Valerie é totalmente fora deste padrão foi que ela ganhou minha devoção. Sem contar que em muitos momentos no livro ela tem ideias que parecem ser perversas, e que algum dia já se passaram por minha mente também. Como por exemplo o fato de achar magnífica uma briga entre dois rapazes, sendo ela o motivo desta briga:

“A voz de Valerie travou quando tomou consciência da beleza feroz daquilo, de ser tão amada. Ela vibrou de culpa e orgulho, da ideia de seu próprio poder, da idéia de ser amada tão impetuosamente.”

Com toda certeza Peter é um de meus personagens galãs favoritos. Lembrou-me de mais do Damon (Diários do Vampiro – a série de TV, porque os livros ainda não li). Ele é durão, cara de bad boy, cabelo bagunçado e escuro, corpo bruto e um imenso e feroz amor por Valerie. O que mais ela poderia querer? E boba não foi, pois desde o início sabia que ele era seu amor, com quem queria viver o resto de sua vida. Esta é mais uma característica que me agradou em Valerie, ela é bem decidida e firme em suas opiniões.
Henry Lazar é um doce, mas não era o homem certo para Valerie, ela necessitava de muito mais do que um amor cômodo. Ela precisava de calor, voracidade, desejo e aquela brutalidade presente apenas em amores arrebatadores. Sinto por Henry, pois ele realmente era perfeito, mas perfeito não era o que Valerie queria. Gentil, bonito, carinhoso, rico… Porém faltava nele o sentimento desbravador que continha tanto em Valerie quanto em Peter.
Quanto às “amigas” de Valerie, todas são cínicas. Rose é uma completa assanhada, Prudence é perversa, e Roxanne é covarde. Das três, a menos pior é Roxanne. Ela traiu Valerie ao falar para todos que esta havia conversado com o Lobo. Mas para esta atitude tão traiçoeira existe uma explicação plausível. O irmão de Roxanne, Claude, que tinha problemas mentais, foi considerado perigoso, pois diziam que ele conversava com o diabo. Porém é óbvio que isso era mentira, o garoto era apenas doente. Ele foi trancado dentro de um elefante de metal – semelhante ao cavalo de madeira de Tróia, porém neste elefante cabia apenas uma pessoa – e foi torturado até a morte. Uma fogueira havia sido posta embaixo do elefante de metal, o que fazia o material esquentar e queimar quem estivesse em contato com ele. Father Solomon, o homem que foi chamado à aldeia para exterminar o lobo, exigia que Claude falasse o nome da fera, como o garoto não sabia acabou não falando nada, e apenas agonizava.
A crueldade de Father Solomon me indignou muitíssimo. E na cena em que Roxanne exige que seu irmão seja solto, após ela ter denunciado Valerie em troca da liberdade de Claude, porém o encontra morto, as lágrimas não se contiveram em meu rosto. É forte o sentimento de dor que nos invade, e de indignação para com Father Solomon. Mas o pior de tudo é que Solomon realmente tinha fé em sua causa, fazia aquilo não por ser maligno e gostar de ver o sofrimento alheio. Totalmente pelo contrário. Era por não desejar o sofrimento das pessoas, causado pelo tormento do lobo, que ele fazia todas essas coisas que não são vistas com bons olhos, porém são justificáveis aos olhos dele. Para proteger as filhas ele acabou por matar a própria esposa, pois esta era um lobisomem. Vemos então do que ele seria capaz para matar o monstro. 
Após a insinuação de que Claude era ou conhecia o lobo, há o seguinte diálogo de Valerie e Father Solomon:

– Ele não é mau! Eu o conheço! – gritou ela, desafiando Solomon.

– Melhor do que eu conhecia minha própria esposa?

Este homem me enoja e ao mesmo tempo de deixa de queixo caído. Tenho minha opinião quanto a ele, de que é um psicótico lunático, que defende uma causa nobre porém da maneira errada. O que o torna, a meus olhos, intragável.
Quanto à família de Valerie nada declararei. É preciso ler o livro para entender o que se passa entre aquele círculo familiar. Cesaire, Suzette e a avó da jovem são uma parte muito intrigante desta trama, uma das linhas mais trabalhadas que tece esta história.
Logo quando terminei de ler o livro – e o capítulo bônus – fui assistir ao filme, e confesso que o livro é muito melhor. Como sempre os livros ganham dos filmes por possuírem mais detalhes, a história é melhor explicada. Quando comecei a ver o filme pensava comigo: “Cadê tal cena? Porque já passou direto para tal coisa? Mas já está nesta parte?”. Porém os diálogos praticamente são todos iguais.
Valeu muito a pena comprar este livro, pela história, pelos personagens, pelo desfecho, e é claro, pela linda arte que emoldura esta obra. ID está realmente de parabéns. 
 
Anúncios

2 comentários em “(RESENHA) A Garota da Capa Vermelha

  1. Quando você escreveu "spoilers" eu desisti de ler, pois quero muito ler o livro e não quero nenhum spoiler, mas li a parte final e devo dizer que você pensa ao contrário de muita gente.O livro é uma adaptação do filme, ou seja, o livro veio depois do filme e muitas pessoas que leram disseram que o livro não tem uma profundidade de personagens tão grande.Quando eu conseguir o livro eu te falo o que achei. xDBjss*Gabi Limahttp://livrofilmeecia.blogspot.com

  2. Gabi:É, nos meus spoilers eu conto bastante coisa :PEu não cheguei a ver ainda os comentários quanto ao livro ou filme. Sempre tenho aquele receio de que falem alguma coisa, mesmo que não seja spoiler, que acabe por me fazer perder a magia do desconhecido. Então, sempre procuro mais informações sobre um livro ou filme após ter lido ou visto. Assim posso comparar minhas opiniões com outras pessoas. Então não sabia que estavam achando o filme com mais profundidade de personagens, mas digo-lhe que achei o livro muito mais completo. Há livros e filmes que praticamente não diferem muito. Vou até comentar isso na resenha de Orgulho e Preconceito. Mas o da garota da capa vermelha eu realmente achei que o livro detalhou mais algumas situações que eu achei importantes. Enfim, creio que quando ler o livro irá adorar, afinal é uma história fascinante.beijões flor :*

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s