texto | MY BEST MISTAKE

Well, here I am… I tried, I have to tell you, I really tried not to think of you, not to talk about you, not even to remember that one day you made me forget the entire world around me – and some days you still do –, but I failed, I failed every single time.

It’s crazy how easily you can get in my head without even try. Sometimes I get myself distracted, and then I see you here again, walking around my thoughts, messing with my mind, playing with my memories and bringing all of them back.

I know – only now, I confess – that you’re not the one that I’ve been dreaming about all of these years. You’re not the perfect guy that would show up on my life to save me and take me with you to a castle with a high tower. You know why you are not this guy? Because this is bullshit! And he doesn’t exist anyway.

So, you’re not perfect, not even close, and you know that. But you have this naughty way of yours that make me crazy. Your sexy smile, your magnetic eyes, your lovely hands and the sweet taste of your mouth… all of these little, and apparently simple things, are the ones that I most remember. The ones that I keep playing on repeat in my mind. I just can’t help it, because it’s stronger than me. You were stronger than me too. Sometimes I think it’s easier for you to forget about me than I forget you.

Your hot musical taste still shuffles with my soft playlists. And speaking of the devil… how hot you are, huh? Well… it’s best for my sanity not to think about this right now… Let’s keep going.

After all this time that I just couldn’t get you out of my head, I realized that you are a part of me that won’t ever go away. And I’m ok with that. I really am.

It’s true that you bring to light all of my dark side, my sins, and my bad thoughts. But, actually, that’s all we need sometimes. So thank you for letting this side of me appear. This nasty one. I like it. And I know you like it too. At least you used to like…

As I said in the beginning, I tried not to talk about you but turns out that you are the only thing I can talk about with property.

Lana Del Rey GIF

Anúncios

texto | MONOTONIA HABITUAL

Tem dias que tudo cansa.

O simples desenrolar de um fone de ouvido se torna a tarefa mais complicada do mundo. Só a ideia de ter que lutar contra todos aqueles nós, já dá vontade de hibernar por seis meses, no mínimo.

O ligar do notebook se transforma em uma espera interminável. Uma grávida daria a luz mais rápido do que o funcionamento do processador da máquina.

Ir até a cozinha preparar um lanche é impossível, mais fácil dizer para o estômago que a fome é psicológica.

E pensar, então? Essa é uma função automaticamente desativada nesses dias. Afinal, a impaciência toma conta do recinto, e essas duas não se dão muito bem.

O jeito é deitar, olhar para o teto e deixar o tic-tac do relógio tocar. Uma hora o tempo passa e esse dia interminável acaba, ironicamente, chegando ao fim.

Bored GIF

texto | A ARTE DE SER FELIZ

Ser feliz é uma arte. Mas arte em que sentido? Arte como em “Picasso é arte.” ou em “A criança fez arte.”? Sinceramente, acredito que serve para ambas as situações.

A felicidade é esse sentimento bom, que colore a vida, e alegra os dias. Ela multiplica sorrisos, distribui abraços, tece elogios e esbanja simpatia. De certo modo é como os quadros de Romero Britto, cheios de vida. Então é arte artística, como em “obras de arte”.

Mas a felicidade também é arte como em “Não vá fazer arte, rapaz!”. Esta arte proibida pelos adultos às crianças. Parece, por vezes, que algumas pessoas acham a felicidade um desrespeito. Qualquer gargalhada mais alta ou demonstração intensa de euforia, já é tratada com desdém, com olhares de reprovação. Estes seres rabugentos compõem uma sociedade arbitrária, que coloca regras em tudo e julga todo e qualquer ato de felicidade. Mas o que eles não entendem é que esta arte que nós crianças – tanto as de idade quanto as de alma – cometemos, nada mais é do que o nosso jeito de expressar amor à vida. Esta pequena travessura de sermos felizes é o que nos move e inspira nossos sonhos.

Então sim, ser feliz é uma arte, tanto pra se expor na parede do mundo para decorar a vida, quanto uma traquinagem de criança, aquele jeitinho de quebrar as regras sem causar danos irrefutáveis.

O mundo está precisando de mais artistas e de mais arteiros.

ser feliz é uma arte

(TEXTO) A vida tem dessas coisas

A vida tem destas coisas… Ela nos permite e nos incita a planejarmos cada passo que queremos dar, e durante um bom tempo temos sucesso neste nosso cronograma.
Mas então, quando a gente menos espera, a vida resolve fazer uma pequena brincadeira, uma pegadinha inofensiva – é o que ela pensa. Ela cria uma situação inusitada, que jamais imaginaríamos que aconteceria, e inventa de jogá-la no meio dos nossos planos. Bem assim, como quem não quer nada. Como uma criança que não tem ciência das consequências de seus atos. Mas essa pequena pegadinha pode ser a causa de toda uma reviravolta em nossa história.
Uma situação irreverente, fora do caminho que havíamos pragmaticamente projetado, pode abrir espaço para uma série de reações em cadeia que acabarão por formar uma bola de neve de novas possibilidades e perspectivas para o nosso futuro.
Mas isso não é algo ruim. Pelo contrário! Esta incerteza que temos do amanhã é apenas a certeza de uma vida excitante, com uma boa dose de aventura e aquele gostinho de novidade.
Planejar cada passo da trilha é seguro, inteligente, responsável, mas previsível. Deixar que algumas pegadas se desviem, direcionando-nos para novos caminhos, é o que realmente dá sentido à vida. É o que nos motiva, nos deixa curiosos, com vontade de virar a página e ler o próximo capítulo.

a vida tem dessas coisas

(TEXTO) Precisamos falar sobre AMOR

Precisamos falar sobre amor. Sim, este sentimento já tão manjado e por vezes monótono. Que parece não ter mais espaço para ser explorado. Mas por incrível que pareça sempre temos coisas novas para descobrir sobre ele. Posso confirmar por experiência própria, a gente está sempre aprendendo sobre os assuntos do coração.
Quanto a isso, tenho alguns amigos que citariam instantaneamente a seguinte música: “Mas a gente aprende, a vida é uma escola.”. E não é que realmente faz sentido? A vida é uma escola que nos ensina a… viver. Olhem só! E como eu sempre costumo responder a esta cantoria: “Algumas pessoas aprendem mais que as outras, e mais rápido também.”. Infelizmente não me enquadro muito bem nesta categoria. Sim, estou aprendendo, mas confesso que a passos meio lentos. Sentimentos são difíceis de explicar, de sentir, de entender, de demonstrar… Enfim, são difíceis e ponto. O amor então, nem se fala!
Tenho escutado tantas histórias de amor, lido tantos livros sobre, visto filmes que o tem por tema central e séries que se apropriam dele deliberadamente. Afinal, todos queremos amar, ser amados, e mesmo dizendo que “Não é amor!”, lá no fundo queremos que seja.
Mas confesso que tenho uma certa implicância com a monotonia com que algumas pessoas tratam este sentimento tão intenso. Não consigo entender aqueles que se acomodam com relacionamentos mornos, cafés com leite, equilibrados e, por assim dizer, desinteressantes. Poxa, o amor não está aí pra isso. Ele não nasceu pra ser sem graça, sem sal e insosso. Ele nasceu pra ser lindo, livre, mágico, prazeroso, especial. Ele nasceu pra ser fogo, não gelo. E não venham me dizer que eu estou falando de paixão, por que esta nasceu pra ser incêndio. Já o amor são as fagulhas que continuam a crepitar embaixo do solo macio, mesmo depois de o incêndio ter diminuído. Portanto é fogo igual!
E agora aquela música do Hunter Hayes faz todo o sentido pra mim, quando diz: “I don’t want easy, I want crazy!”. Exatamente! Quem quer que seja fácil? Eu não. Eu quero que seja memorável, insano e alegre, quiçá até absurdo. Deixem que achem louco. Quero menos “Posso pegar na sua mão?” e mais beijos roubados. Menos flores e chocolates e mais piqueniques em parques ao ar livre. Menos restaurantes chatos e mais lençóis e cobertas. Quero mais Sim, menos Não. Mais sorrisos, mais piadas, mais olhares, mais segredos trocados. Quero mais histórias para preencher os livros, filmes e séries citados anteriormente. Mas quero ser, desta vez, a protagonista destas histórias. A protagonista da minha vida. E quero que esta vida transborde amor.

precisamos falar sobre amor