Dica Novo Conceito: A Pousada Rose Harbor

Alguém viu os valores que estavam aqui? Família, lar amizade….

Você também está procurando algumas coisas que se perderam pelo caminho? Nostalgia! Talvez. Pode ser, mas na verdade sinto falta de valores simples que foram ficando de lado no “fast dia” do workaholic e sua família instantânea. Tudo tão rápido, sem consistência, sem sabor e ainda por cima, mal passado!  Até os índices econômicos são com base em fast-food “Índice McDonald´s”. Para o mundo que eu quero descer!

Socorro! Cadê a minha avó!? A vó Antonieta que fazia a Páscoa ficar mágica e que reunia as amigas e noras para a novena, fazia o Natal ser um grande jantar para reunir toda a família e ganhar presentes simples e até feitos à mão, e que abria as portas da sua casa para receber a festa de Santo Reis, quando se desmontava a árvore de Natal e os violeiros de roupas coloridas, máscaras e pandeiros com fitas se apresentavam em troca de uma xícara de café. Onde foi parar tudo isso?

Onde está aquela vida simples, corrida também, com muito trabalho para colocar dinheiro em casa, filhos para criar e educar? Porém simples! E cheia de valores, coisas pequenas que faziam o dia, o mês, o ano e a vida valerem à pena. Cadê o almoço em família com todos à mesa e o jantar para contarmos como foi o dia? Tenho a leve impressão que curtíamos mais a chuva na janela, que agradecíamos mais, que sonhávamos mais.

Você tem sonhado? Tem feito piquenique com seus filhos? Ou sua vida tem sido drive-thru em que você passa, pega e vai embora.

Tem uma autora americana que me faz voltar ao passado com seus livros e lembrar de todas essas coisas boas de uma vida simples. É a Debbie Macomber!

E sabe o que mais? Acho que tem um monte de pessoas saudosas como eu, porque Debbie já vendeu 170 milhões de livros no mundo! Isso significa que não só eu que tenho saudades da vida como ela era.

Como estamos tão ocupados correndo pela vida é fácil perder os momentos de prazer. Uma boa leitura pode trazê-lo de volta! A Pousada Rose Harbor é a minha dica!

Imagem

(resenha/livro) Não Sou Este Tipo de Garota


Perversa ou inofensiva? Confiável ou hipócrita? Controlada ou insensata? A vida é sobre suas decisões e escolhas, e Natalie Sterling se orgulha de sempre fazer as melhores. Ela ignora os caras populares e babacas da escola, sempre ganha medalhas de honra e está prestes a ser a primeira estudante jovem a ser presidente do conselho estudantil em anos. Se apenas todas as outras garotas fossem tão sensíveis e fortes. Como o grupo de novatas que querem ser brinquedos dos jogadores de futebol. Ou sua melhor amiga, que tomou uma decisão idiota que quase arruinou sua vida. Mas ser sensível e forte não é fácil. Não quando uma brincadeira quase a faz ser expulsa. Não quando seus conselhos dóem mais do que ajudam. Não quando um cara que ela já deu um fora se torna o cara que ela não consegue parar de pensar. A linha entre o certo e o errado foi distorcida, e cruzá-la poderá resultar em um desastre… ou se tornar a melhor escolha que ela já imaginou fazer. 

Cuidado, pode conter Spoilers – dependendo do que você considera um. (;

Bem, começando pelo começo… ganhei este livro em uma promoção de um blog e fiquei super contente, afinal eu estava completamente louca para lê-lo. Quando o livro chegou eu praticamente tive um ataque histérico, e comecei a ler assim que pude. Porém eu acho que esperava mais deste livro. Calma, vamos por partes.
O livro é bom sim, não digo que não gostei dele ou coisa parecida, nem de longe. Afinal, praticamente devorei-o. Porém o que não me agradou tanto neste livro foram as atitudes de alguns personagens. Para simplificar, as atitudes infantis dos adolescentes desta história. Eles são imaturos, desinteressados, orgulhosos, mentirosos, arrogantes…. Argh! Certas atitudes deles me deixaram tão enojada e com um nó imenso preso na garganta. Começando por Spencer, a “Rosstituta” mais espevitada do colégio onde estuda. Até tirar a blusa e ficar só de sutiã no meio do corredor lotado de gente, ela tirou. Uma completa sem noção. 
Tem também o imbecil do Mike, que é totalmente repugnante. Aquele típico atleta que se acha o bonzão e que disso não tem nada. E ele é completamente imbecil por tratar toda e qualquer garota como um pedaço imenso e suculento de carne. Enfim… Tem a Autumn, melhor amiga de Natalie e que não é uma das piores personagens não, mas o jeito como trata Natalie em certa parte do livro me dá muita agonia. Ok que a Nat é grudenta e presunçosa, e sim, tem alma de líder, centro das atenções. Mas concordemos, ela foi a única que ficou do lado de Autumn quando a escola inteira ficou rindo pelas costas dela – e pela frente também, porque são todos ridículos. – E então um certo dia Autumn resolve retomar as rédeas da situação e sair da sombra das asas de Natalie. Eu achei isso louvável, pois Autumn tem que ter a atitude dela, tem de ser forte e tudo mais, porém voltar a ser amiga das mesmas pessoas que viraram as costas para ela e que cochicharam mal dela pelos corredores da escola toda? Aí já é de mais. 
Natalie e Connor são outros personagens que me deixaram completamente estressada. Connor até nem tanto, afinal ele realmente foi sincero com Natalie durante todo o livro. A única decisão errada que tomou foi ser amigo de Mike, aquele cretino. Mas de resto ele foi legal. Já Natalie é uma das piores. É a certinha da turma, nunca fez nada de errado, nunca mentiu para os pais, é virgem, vive estudando para conseguir entrar em uma boa faculdade e defende os amigos. Até aí, tudo perfeito. O problema surge quando ela começa a deixar tudo isso de lado, e passa a viver uma crise de identidade irritante. Ela fica pensando nas coisas certas que deveria fazer, porém na prática faz tudo ao contrário. Ela sabe que está sendo arrogante e idiota, mas continua com a mesma postura em certas situações. E isso me deixa muito braba. Afinal, se ela sabe o que deve fazer, não tem desculpa para NÃO fazer. Então que não fique posando de boa moça, tentando nos comprar com seus pensamentos puros e arrependidos enquanto que na vida real acaba por fazer somente burrada atrás de burrada. Tome logo uma decisão garota! As atitudes dela me decepcionaram plenamente, afinal ela julga Spencer pelo que a garota faz, porém ela própria faz coisas, quem sabe, até piores pelos bosques da vida. 
A frase final que Natalie fala, foi a gota d’água para eu formar minha opinião sobre ela, uma jovem sem noção:

“… não me importava nem um pouco com a forma com que seria lembrada. Contanto que nunca me esquecessem.”

Sim, então se lembrarem de você como sendo a vaca hipócrita, metida a santa do pau oco do colégio, tudo beleza?! Poupe-me Natalie. 
E apesar de eu não ter me identificado com quase ninguém deste livro, eu não considerei-o um livro ruim. Porque no final das contas, ele não retrata nada menos do que a realidade dos adolescentes de hoje em dia. São iguais aos deste livro, imaturos. Talvez isso também tenha me indignado um pouco, saber que realmente existem jovens assim na atualidade em que vivemos. Isso me deprime. Mas leiam o livro se tiverem a oportunidade, é bem legal. 

Alpha Rev – Phoenix Burn 
I’ve taken too much, given up
I am twisted, burnin, breaking up

(resenha/livro) Diário de uma Paixão

“Não sou nada especial; disso estou certo. Sou um homem comum, com pensamentos comuns, e vivi uma vida comum. Não há monumentos dedicados a mim e o meu nome em breve será esquecido, mas amei outra pessoa com toda a minha alma e coração e, para mim, isso sempre bastou.” Assim tem início uma das mais emocionantes e intensas histórias de amor que você lerá na vida… O livro é o retrato de uma relação rara e bela, que resistiu ao teste do tempo e das circunstâncias. Com um encanto que raramente é encontrado na literatura atual, O ‘Diário de uma Paixão’ de Nicholas Sparks, o consagra como um contador de histórias clássicas, com uma perspectiva excepcional sobre a mais importante e única emoção que nos mantém.

Minha mãe vivia me falando de um tal filme chamado DIÁRIO DE UMA PAIXÃO. Dizia que era lindo e que eu iria adorar. Acabei vendo o filme e simplesmente enlouqueci. A história é magnífica. O amor de Noah e Allie é encantador. E quando descobri que o filme era baseado em um livro, tive que lê-lo. Graças à editora Novo Conceito pude realizar este desejo. Aliás, terá uma promoção do livro em seguida no blog, mas depois eu falo disso. 
Se não me engano, este foi o primeiro livro de Nicholas Sparks que eu li, e confesso que dessa união irá dar casamento, afinal não largarei as histórias dele jamais. Ele é um gênio. Sua forma de escrita é doce, suave e tranquila. Senti-me como se estivesse constantemente entre as nuvens mais sublimes de um céu resplandecentemente límpido.
A retratação do amor existente entre Noah e Allie foi indescritível. É um sentimento fácil, simples e sem dificuldades. Não há brigas entre os dois. Allie ama Noah e Noah ama Allie, isso é o que importa. Este fato é bem diferente do filme, já que nas telas do cinema vimos Allie e Noah demonstrarem o amor um pelo outro em meio a gritos e histeria. Já no livro não é assim.
A famosa cena do beijo na chuva que assistimos no filme não acontece no livro, o que me decepcionou um pouco. Esperava ver toda aquela paixão do filme sendo descrita nas linhas desse maravilhoso livro, porém a cena que li foi bem diferente, mesmo assim não deixou de me transmitir o amor dos dois e a vontade que tinham de estarem juntos. 
Apesar de não ser um enredo surpreendente para mim, já que eu havia visto o filme e conhecido toda a história através dele, o livro me agradou muito. Nicholas fez com que nos apegássemos ao casal principal de tal forma que em certas ocasiões era como se estivéssemos junto a eles nas cenas. Foi como se eu conhecesse a casa que Noah reformou, já tivesse passeado pelo lago em que os dois navegaram, e tivesse vivido toda a minha vida na cidade em que moravam. 
A história é super tranquila de ser lida, é suave e bela. E confesso que acabei apaixonando-me mais ainda por Noah. Ele é lindo, romântico e ama incondicionalmente Allie. O que ele fez por ela lembrou-me o que Henry fez por Lucy no filme COMO SE FOSSE A PRIMEIRA VEZ. Um livro maravilhoso para nos certificarmos de que amores eternos e verdadeiros existem.

Apoio: 

Lançamento de Livro e Selo – Novo Conceito

Novidade! A Novo Conceito está com um selo novo. É o Novo Conceito Jovem. E com o lançamento dele vem também o do livro “Não sou este tipo de garota”.

“Na minha visão de veterana, a orientação aos calouros é uma perda de tempo colossal. Se fosse por mim, as coisas seriam bem diferentes. Somente três coisas seriam transmitidas aos garotos para que vivessem uma experiência de sucesso no ensino médio: fazer a lição de casa, usar camisinha e passar desodorante nos sapatos de couro. Por outro lado, ao aconselhar as meninas, diria que confiar em garotos é igual a beber e dirigir. O fato de se tomar uma ou duas cervejas nunca parece perigoso no começo. Mas para mim, era óbvio: por que alguém iria correr o risco? (…) Era o tipo de informação que poderia salvar a vida de uma garota (…) Momentos constrangedores tinham uma vida útil surpreendente na escola (…)” A vida é feita de escolhas, e Natalie Sterling se orgulha de suas decisões. Mas será que agora conseguirá escolher o caminho certo? Ainda continuará sendo o mesmo tipo de garota até a formatura? “Siobhan Vivian desafia as suposições sobre o sexo na escola e envia uma mensagem positiva sobre aceitação, perdão e amor.” Este era seu último ano do colégio. Entrar na universidade, ser presidente do conselho estudantil e passar todos os dias com sua melhor amiga era tudo o que Natalie havia planejado. Ela sempre foi estudiosa, a melhor da classe. Não era o tipo de garota comum na Academia Ross, pois se preocupava muito com sua reputação. Talvez até demais. Então, para sua surpresa, no início das aulas, uma caloura a reconhece por tê-la tido como babá anos atrás. Desse reencontro surgirão muitos acontecimentos em que Natalie será obrigada a fazer difíceis escolhas para os dilemas de sua vida no ensino médio, como qualquer adolescente. Seu último ano será repleto de decisões, indecisões, julgamentos e paixões, tornando-se inesquecível. Seus planos sofrem uma reviravolta e sua vida fica de pernas para o ar, tudo o que ela não desejava inicialmente.

Gamei neste selo *-*

Lançamento de Beijos

A Novo Conceito nos encantou e conquistou trazendo traduções de alguns dos livros mais lindos de romance. Entre eles podemos citar Um Amor para Recordar, Diário de uma Paixão, A Última Música, Querido John. E agora vem com mais uma ótima notícia. Uma edição traduzida de Anna and the French Kiss (Anna e o Beijo Francês). 


“Anna Oliphant tem grandes planos para seu último ano em Atlanta: sair com sua melhor amiga, Bridgette, e flertar com seus colegas no Midtown Royal 14 multiplex. Então ela não fica muito feliz quando o pai a envia para um internato em Paris. No entanto, as coisas começam a melhorar quando ela conhece Étienne St. Clair, um lindo garoto – que tem namorada. Ele e Anna se tornam amigos mais próximos e as coisas ficam infinitamente mais complicadas. Anna vai conseguir um beijo francês? Ou algumas coisas não estão destinadas a acontecer?”


Escrito por Stephanie Perkins, o livro originalmente foi lançado pela editora Dutton, e agora foi traduzido pela Novo Conceito. Com pouco tempo de lançamento já faz sucesso entre blogs literários: Silêncio que eu tô lendoSubtítuloNo Mundo dos LivrosSem contar que no Skoob o pessoal também já está comentando e opinando.
Além deste, Stephanie Perkins também escreveu outros dois livros, já com previsão de lançamento. Lola and the Boy Next Door que sairá em Setembro de 2011. 



Isla and the Happily Ever After, ainda sem capa, que está previsto para 2012. 
Quem quiser saber um pouco mais sobre essa autora em ascensão, pode entrar aqui no blog dela e explorar a delicadeza do local. O layout é super fofo e as boas-vindas são bem convidativas. Os apelos carinhosos de Stephanie fazem a gente realmente querer comprar o livro dela. E tem como não querer comprar? A capa é linda, e a ideia da história é interessante. 


Algumas trechos da autobiografia que Stephanie escreveu em seu blog eu preciso comentar:


“eu escrevo romances para adolescentes (e para adultos que não têm medo de admitir que os livros de adolescentes são impressionantes).” – E são mesmo!


“e agora eu vivo nas montanhas da Carolina do Norte em meio a cachoeiras e mirtilos silvestres.” – Montanhas? Cachoeiras? Sério, me deixa morar aí também. Por favor!


“Nos fins de semana você vai me encontrar enrolada nos assentos das salas de cinema, esperando que os atores se beijem. Acredito que todos os romances e filmes devem ter mais beijos.” – Concordo plenamente. 


“Eu amo o jeito que cheira, o peso das páginas em minhas mãos, o Era Uma Vez de fuga. Eu não posso imaginar uma vida sem literatura.” – E quem em sã consciência imaginaria?