Quebra do Etnocentrismo

Não é novidade ouvirmos, hoje em dia, discursos preconceituosos em relação às diversas religiões existentes. Ainda é forte, na sociedade, a ideia do etnocentrismo, que impõe como sendo correta a cultura a qual pertencemos. Porém esta é uma ideia que deve ser revista.

O ser humano é multicultural, portanto, diferente em cada canto do planeta. Mas nem precisamos ir tão longe assim: se olharmos na rua onde moramos, quantos vizinhos são diferentes de nós? Em nosso trabalho, quanta variedade de pessoas encontramos? Em meio a toda esta mistura de pensamentos e opiniões, como podemos determinar quem está certo e quem deve rever os seus conceitos? Na verdade, não podemos.

Hitler, certa vez, tentou “dominar o mundo” e pretendia criar uma raça a qual denominava “pura”, livre de judeus (irônico, pois ele próprio era judeu) e qualquer outra pessoa que não se enquadrasse nos padrões que ele determinava. Este é um exemplo que nos mostra uma tentativa do ser humano de distinguir o que seria o certo e o errado. Temos como desfecho desta história um triste acontecimento que, até hoje, é um assunto que gera grandes lamentações: a Segunda Guerra Mundial. Fica claro percebermos, assim, que não há como simplesmente impormos uma opinião aos demais a nossa volta.

Neste momento, muitas pessoas tomam como escudo o preconceito. Se alguém não pensa como elas, logo estas o menosprezam. Mas como disse Mário Sérgio Cortella, professor da PUC-SP, em debate sobre preconceito no programa “Movimento GNT” de 2000, “Discriminar é diferente de rejeitas”. Ele trouxe a ideia de que podemos não concordar com as escolhas alheias, ao ponto de não as querermos para nós mesmos. O que não devemos é discriminá-las, colocando-as abaixo das nossas. Cada um possui seus motivos para ser do jeito que é, e não cabe a nós julgarmos quem está, ou não, correto.

Atualmente não existe uma religião unânime, mas existe a fé. Podemos não entender por que os budistas veneram uma estátua gorda e dourada; os católicos, um homem pregado a uma cruz e os espíritos acreditam em vida após a morte. Mas é nosso dever respeitar estas diferentes opiniões e saber conviver com elas.

7f682fd3cc69ab2855f4431110fdfeab

para aquela que sabe quem é

Há alguém muito especial neste mundo, que talvez nem tenha ideia do quão especial e importante é, que vem deixando minha vida mais alegre já faz dez anos. 
Com ela posso conversar, desabafar e muitas vezes desabar… em lágrimas, choro, angústia; posso pedir amparo. É ela que depois seca as lágrimas, me faz sorrir novamente e me diz: Está pronta para outra!
Ela é pequena, mas é muito maior que qualquer gigante… em amor, carinho, paciência, bondade, sinceridade, generosidade, respeito, afeto, doçura, amizade, lealdade, integridade, sensibilidade… 
Ela é discreta, mas chama atenção daqueles que conseguem enxergá-la com olhos puros. 
É dedicada, prestativa, preocupada… às vezes até de mais, acaba assim ficando nervosa, ansiosa.
Ela sabe que não é perfeita, tem seus defeitos e erra vez que outra. Mas ela sabe reconhecer, sabe desculpar-se, e também sabe se ajoelhar para pedir entendimento àquele a quem chama de Deus. 
Ela já chorou, já sofreu, seu coração algumas vezes já doeu. Eu pude presenciar alguns destes momentos, pude consolar, assim como ela fazia comigo, ou ao menor tentei imitá-la. Nunca se é bom o bastante ao lado dela. Porém algumas vezes não pude estar tão perto, não pude estar ao lado, nem muito pude ajudar. Mas estive sempre pedindo silenciosamente pelo seu bem-estar, para que a dor sumisse e tudo voltasse a ser como um jardim florido enfeitando a estrada de sua vida.
Hoje creio que ela seja feliz, posso até mesmo ver o brilho de emoção em seus olhos quando a reencontro para pôr a conversa em dia e ela me narra todas suas novidades. Vejo a euforia com que descreve cada detalhe, cada história, cada passo que deu em sua jornada.
Fico muito feliz por ela, e sei que ela também fica feliz por mim, por minhas conquistas e por minhas histórias que também lhe conto.
Esta pequena grande mulher a quem me refiro pode ser chamada de várias maneiras. Formalmente é conhecida como Isabel, para os mais íntimos é Bell. Sei que ela gostaria que usassem um pouco mais o Isa, mas para mim ela sempre será a irmã, a best
Amo-a eternamente e sei que ela sabe disso sem sombra de dúvidas, mas não há mal algum em tentar transcrever um fio deste amor em algumas sinceras palavras que buscam, além de expressar esta amizade de longa data, desejar um imenso FELIZ DIA DO AMIGO a ela.

para aquela que sabe quem é

assim mesmo, sem letra maiúscula ou ponto final, pois já nem sabemos ao certo como tudo começou, e temos plena certeza de que nada disto terá fim

Minhas Palavras

Hoje bateu uma saudade. Não uma saudade normal, como de amigos ou pessoas queridas. Mas uma saudade de mim mesma.
Recordando alguns textos antigos, algumas palavras soltas em momentos de desabafo, vi minha alma sendo descrita em detalhes e senti falta dela.
Lembrei de um tempo passado, quando tudo o que me bastava eram as palavras que da minha mente pulavam. Sorri com ideias que nem mesmo eu sei de onde tirei. E senti muita saudade de tudo isto.
Me deu vontade de voltar. Me deu vontade de correr. Me deu vontade de gritar. Me deu vontade de chorar. Mas contra todas essas vontades me veio uma ordem: sorrir.
Sorrir por tudo que vivi, tudo que pude ver e absorver esse tempo todo. De repente me alegrei e percebi que nada daquilo escrito em meus textos antigos estava perdido. Nenhuma palavra havia ido embora com o tempo. Estavam todas ali, guardadas, protegidas. Prontas para serem relidas a qualquer momento.
E também descobri que muitas outras palavras ainda estão por vir, além das que estão sendo descritas agora, muitas outras ainda irão surgir, pular enlouquecidas precisando ser ditas, escritas, transmitidas de alguma forma. E eu estarei aqui, esperando o momento em que elas me pedirem para sair. Estarei aqui para elas, assim como elas sempre estiveram aqui por mim. 

Paixão Questionada

O que faz as pessoas se apaixonarem umas pelas outras? A beleza? Talvez sim, em um primeiro momento, já que é a primeira coisa que notamos em uma pessoa, na maioria das vezes. O caráter? É um bom motivo, mas este só podemos ter certeza após conhecermos certa pessoa durante um determinado tempo, que não é tão curto assim. Quem sabe o bom humor? Creio que seja uma boa razão, afinal a vida seria muito chata sem podermos dar boas risadas. Ter alguém que dia após dia nos faz sorrir é algo incrivelmente agradável. Mas será que só isto basta para nos apaixonarmos?
A meu ver a paixão, seguida consequentemente pelo amor, não é algo tão simples que se possa definir sua origem. Afinal é um sentimento tão sublime, mágico e que nos eleva a alturas inigualáveis que não poderia ter um simples conceito.
Não podemos descrever qual o instante exato em que nos apaixonamos por alguém, mas podemos narrar momentos agradáveis que passamos com esta pessoa. Não sabemos ao certo qual palavra proferida ganhou nosso coração de vez, mas sabemos recitar perfeitamente cada frase que nos tirou o fôlego. Não temos certeza de qual foi o primeiro abraço que nos fez pensar “não quero mais largar esta pessoa”, mas lembramos de todas as vezes que nos abraçamos com ela. E jamais saberemos qual o beijo que nos parou completamente o coração, mas com certeza sabemos todos aqueles que o fizeram bater mais forte.
A paixão é algo que acontece, e não há uma razão exata para ter acontecido. Ou melhor, há milhares de razões que poderiam ser achadas para explicá-la. Mas eu questiono, para que? Porque devemos fazer tantas perguntas sobre algo, sabendo que todas as respostas se encontram no olhar da pessoa que amamos, no sorriso que ela nos dá, e na sua presença com a qual nos presenteia?
Paremos de questionar e comecemos a enxergar que, a paixão não tem momento exato para acontecer, ela continuará acontecendo enquanto o casal se amar. Não é algo finito, pois está em constante movimento. Você ama, a pessoa ama em troca e o ciclo continua…

Impulsão Amorosa

Uma pessoa que ama facilmente. É isso o que sou. Se gosto, amo. Se não gosto, nem me importo. O fato é que sou daquele tipo de pessoas ‘oito ou oitenta’. Não há porque dizer que gosto de uma pessoa, quando na verdade ela me cativou e eu a amo. Parentes, amigos, amores, paixões. No momento em que conquistam a minha alma, ganham como prêmio o meu coração. E não vejo razão para não doá-lo por inteiro. Há apenas o medo de que o machuquem, de que não saibam cuidar dele. Mas se alguém foi bom o suficiente a ponto de merecer minha devoção, é porque as chances de ela me machucar já foram calculadas, e são remotas. Ou então eu não me daria ao trabalho de me importar com ela.
Algumas pessoas amam, gostam, não gostam ou odeiam. Pra mim existe apenas dois lados. Assim como as estação, vejo-as como quente ou frio, amor ou ódio. O outono e a primavera são apenas seres metidos que apareceram na história muito depois de se saber que o clima mudava conforme o passar do tempo. Assim para mim é o gostar e não gostar.
Se você acha alguém legal, gentil, divertido, e que lhe faça sentir-se bem, porque dizer que gosta dessa pessoa? Diga que a ama. O amor é o sentimento mais sincero nessas situações. Ame à todos de quem gosta, e deixe o resto fora da sua mente. No máximo os respeite, mas não dê-se ao trabalho de xingá-los ou humilhá-los, pois assim eles apenas estarão mais presentes em você do que aqueles com quem realmente se importa.
Sei que posso parecer impulsiva ao dizer que amo aqueles que me conquistam, mas na realidade sou apenas sincera. É o que sinto, é o que transmito. E não tenho medo algum de expressar meu amor.
Se achar de alguma forma que eu gosto de você, saiba que na realidade o amo.

Não me alimento de ‘quases’, não me contento com a metade. Nunca serei sua meio amiga, ou seu meio amor… É tudo ou nada.”
Marilyn Monroe